Itapevi

Brasileira ferida em bombardeio no Líbano é transferida para hospital em Beirute

A brasileira Fatima Boustani, de 30 anos, ferida no último sábado (1º) após um bombardeio atingir sua casa em Saddike, no Sul do Líbano, foi transferida para um hospital em Beirute, capital do país.

A informação foi confirmada nesta quinta-feira (6) por Hussein Ezzddein, primo do marido dela.

A família tentava a transferência desde o início da semana, por conta da gravidade da situação na região.

A filha de Fátima, de 10 anos, permanece no Hospital Libanês Italiano, em Tiro. Ela passou por três cirurgias na perna e apresenta melhora.

O outro filho, um menino de 9 anos, que também ficou ferido, recebeu alta na quarta (5).

De acordo com a família, Fatima deixou a UTI e tem evolução no estado de saúde. Ela ficou gravemente ferida e teve o rosto desfigurado.

Atualmente, o marido dela, Ahmad Aidibi, mora em Itapevi. Ele se mudou para o Brasil em busca de oportunidades de trabalho e deseja trazer a família ao Brasil.

“Precisamos trazê-los porque a situação da guerra está ficando mais grave. Os outros dois filhos que não se machucaram estão na casa de parentes, mas não é um local seguro”, afirmou o primo.

Bombardeio
Fatima estava em casa com dois dos seus quatro filhos quando foram surpreendidos pelo bombardeio. No momento do ataque aéreo, as outras duas crianças, de 12 e 7 anos, tinham saído para a casa dos avós.

Segundo agências de notícias internacionais, os ataques foram feitos por Israel, que visava áreas do grupo terrorista Hezbollah. A agência AP diz que o Hezbollah afirmou que interceptou um drone de Israel durante os ataques deste sábado.

Em nota, o governo brasileiro condenou o ataque e informou que presta apoio à família.

Família brasileira

Hussein Ezzddein contou ao Portal G1 que seu primo, Ahmad Aidibi, é casado com Fatima Boustani há 15 anos. A família mora em Saddike, a cerca de 100 quilômetros de Beirute.

Aidibi foi para Itapevi antes da mulher e dos filhos para conseguir oportunidade de trabalho, mesmo sem falar português.

Fátima é libanesa, mas já morou no Brasil há alguns anos, tem parente no país e há poucos meses ela e os filhos conseguiram a nacionalidade brasileira. A família planejava se mudar ainda neste ano para a Grande São Paulo, após o término do período escolar das crianças, informou o primo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *