GCMs acusados de agredir jovem em Itapevi são condenados

Em decisão de juíza da Vara Criminal de Itapevi, dois guardas civis municipais acusados de agredir um jovem na cidade foram condenados a um ano e dois meses de reclusão, em regime inicial aberto, e a perda da função pública, ou seja, os cargos na GCM. Eles podem recorrer.

O caso aconteceu em 2017. De acordo com a vítima, Thiago Ferreira, na madrugada de 27 de maio daquele ano, os GCMs Ulisses D’Amico e Leomar Brito da Silva o abordaram quando estava a caminho de uma festa, no Jardim Rosemeire, em Itapevi, e o agrediram com chutes e socos. O jovem teve um dente quebrado e ficou com hematomas nas costas, mostrados em reportagem do jornal “Itapevi Agora”.

Ainda de acordo com a vítima, após as agressões, os GCMs verificaram que ele não tinha passagem pela polícia e se questionaram sobre como proceder, até que decidiram liberá-lo.

A sentença que condenou os guardas acusados de agressão é de 20 de agosto deste ano, da juíza Carolina Hispagnol Lacombe, da Vara Criminal de Itapevi. Na decisão, a magistrada destaca que há uma série de outras acusações semelhantes contra a dupla de GCMs e ressalta “a obrigação do Estado em obstar que agentes públicos utilizem de suas fardas como escudo protetivo à prática de abusos”.

Os guardas negaram as acusações e se disseram prejudicados pelas investigações da Polícia Civil. Eles podem recorrer da sentença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *