Hackers divulgam supostos dados pessoais de Bolsonaro e aliados

Os hackers do Anonymous roubaram documentos de Jair Bolsonaro, Flavio Bolsonaro (Republicanos-RJ), Carlos Bolsonaro (Republicanos), Douglas Garcia, Abraham Weintraub (Ministro da Educação), Daniela Weintraub, Damares Alves (Ministra dos Direitos Humanos) e Luciano Hang, dono das lojas Havan. Os dados foram divulgados na internet na noite de segunda-feira.

As informações não estavam mais disponíveis na manhã desta terça nos sites usados para divulgar os dados, como CPF, números de telefone e informações financeiras. Não é possível afirmar que os dados eram autênticos.

O Palácio do Planalto não respondeu de imediato a um pedido de comentário sobre o suposto vazamento.

No Twitter, o ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, afirmou que determinou que a Polícia Federal, que é subordinada à pasta, que investigue a divulgação dos dados pessoais do presidente, de seus filhos e de outras autoridades.

“As investigações devem apurar crimes previstos no Código Penal, na Lei de Segurança Nacional e na Lei das Organizações Criminosas”, afirmou o ministro na rede social.

Em publicação no Twitter, Carlos Bolsonaro disse que a divulgação foi uma tentativa de intimidação e afirmou que adotará medidas legais contra os responsáveis.

“A turma ‘pró-democracia’ vazou meus dados pessoais e de outros na internet. Após vermos violações do direito à livre expressão, agora ferem a privacidade. Sob a desculpa de ‘combater o mal’, justificam seus crimes e fazem justamente aquilo que nos acusam, mas nunca provam!”, escreveu o vereador, em uma referência a protestos no fim de semana críticos ao governo Bolsonaro e a favor da democracia.

“Uma clara tentativa de intimidação diante do momento que o Brasil e o mundo vivem. Medidas legais estão em andamento para que tais movimentos não passem impunes!”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *