Moradores de rua morrem após comerem marmita supostamente envenenada

Uma criança e uma adolescente estão internadas em estado grave

Dois homens que viviam em situação de rua morreram após comer marmitas supostamente envenenadas no posto de gasolina desativado próximo ao Ginásio Municipal. O caso aconteceu na madrugada desta quarta-feira (22) e foi confirmado pelo prefeito Igor Soares (Podemos), que informou que a Polícia Civil investiga o caso.

Segundo a denúncia do prefeito, os dois moradores de rua teriam pego as marmitas de pessoas que não estão ligadas aos órgãos públicos de Assistência Social. Além dos dois que morreram, uma criança de 11 anos e um adolescente de 17 comeram os alimentos e estão internados.

A Prefeitura de Itapevi e a Polícia Civil ainda não identificou quem teria fornecido as marmitas ou qual substância que teria provocado o envenenamento. Os dois homens foram encontrados já sem vida, ao lado de um cachorro, também falecido pelo suposto envenenamento. Eles foram identificados como José Araújo Conceição e Vagner Aparecido Gouveia de Oliveira, de 37 anos. Os dois foram levados para o Pronto Socorro Central de Itapevi, onde foi constatado o óbito.

Igor Soares informou, nas redes sociais, as duas vítimas foram abordadas por assistentes sociais, mas que recusaram o abrigo fornecido pela prefeitura para acolhimento no Ginásio do Centro de Iniciação ao Esporte, destinado para receber pessoas em situação de rua durante a pandemia da Covid-19.

MAIS DUAS VÍTIMAS
Uma terceira pessoa – ainda não identificada -, morador do bairro Jardim Rosemary, pegou a marmita e levou para casa, onde moram a criança e o adolescente contaminados. A criança está internada no Hospital Geral de Pirajussara, enquanto o adolescente está no Pronto Socorro Central de Itapevi, ambos em estado grave.

Além da Polícia Civil, a Guarda Civil de Itapevi também investiga o caso e realiza buscas por possíveis vítimas e suspeitos.

2 thoughts on “Moradores de rua morrem após comerem marmita supostamente envenenada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *