Polícia Civil prende cinco integrantes de organização criminosa durante operação “Frete Fake”

Grupo oferecia fretes falsos em sites para atrair caminhoneiros e praticar assaltos; suspeitos também estavam envolvidos com desmanches e crimes de receptação

A Polícia Civil da Capital, por meio do 70º Distrito Policial (Sapopemba), prendeu cinco integrantes de organização criminosa especializada em roubar caminhoneiros, durante a operação “Frete Fake”, deflagrada nesta segunda-feira (20).

Parte do grupo foi capturado, após cerca de quatro meses de investigação. Depois, foram expedidos nove mandados de busca e apreensão e oito de prisão, levados à campo hoje para serem cumpridos.

“[O nome dessa] operação é exatamente o que eles faziam, a falsidade no frete”, destacou o delegado titular da 8ª Delegacia Seccional de Polícia – São Mateus, Helio Bressan. De acordo com o delegado, o grupo criminoso entrava em um site utilizado para oferecer fretes a caminhoneiros e ali escolhia suas vítimas. O assalto era anunciado em endereços fornecidos pelos criminosos para a prestação do serviço falso.

Ainda segundo o delegado, após abordar o caminhoneiro, os suspeitos sumiam com o caminhão e também roubavam tudo que podiam da vítima que, se não colaborasse, informando senhas de cartões, por exemplo, eram torturadas com arma de choque – um dos itens apreendidos durante a operação.

Estima-se que a organização criminosa tenha feito vítimas em diversos estados brasileiros e que pessoas de outras federações também tenham envolvimento com o grupo.

Participaram das atividades 61 agentes, com apoio de 25 viaturas, de todas as unidades da 8º Seccional, e as investigações prosseguem para deter outros envolvidos e identificar mais vítimas.

Além das prisões e da arma de choque recolhida, os trabalhos em campo de hoje resultaram na apreensão de celulares, GPS, cartões de crédito, documentos e uma quantia em dinheiro. Também foi localizado um desmanche utilizado pelos criminosos, onde foram encontrados vários motores e cabines de caminhão, o que indica o envolvimento dos suspeitos com crimes de receptação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *