PSOL Itapevi movimenta cenário político

O cenário político de Itapevi continua movimentado e os partidos políticos seguem buscando alianças para suas nominatas visando às próximas eleições municipais em outubro (caso o pleito não seja adiado).

No lado esquerdo do ‘xadrez itapeviense’, o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) vem realizando videoconferência, devido ao isolamento social, para definir quem serão seus pré-candidatos nas próximas eleições municipais. O partido ainda discute  a possibilidade de ter candidato majoritário próprio.

Um dos objetivos é romper com as velhas práticas políticas que se naturalizaram em Itapevi, representado sempre pelo mesmo grupo político, mudando somente o nome, mas o modo de governar continua o mesmo, sempre voltado para uma parcela privilegiada da população.

Enquanto isso a periferia fica entregue a própria sorte vivenciando promessas que passa mandato e entra mandato não são cumpridas. Com foco em uma nova visão de mudança o PSOL apresenta um novo modo de se pensar e fazer política.

 “É preciso focar no bem comum e deixar a politicagem de mão para fazer política de verdade. Em Itapevi diz que só ganha eleição se tiver muito dinheiro, mas isso não passa de um discurso conformista que se afirma no decorrer dos anos para que as coisas permaneçam como estão. A população de Itapevi merece algo novo, desprendido das antigas amarras. Esses dinossauros do poder precisam entender que política não é mercadoria”, afirma Rafael de Paula, filiado ao PSOL.

O Partido já discute internamente algumas pré-candidaturas, pois acredita que é possível fazer algo novo por Itapevi sem a lógica do “poder pelo poder”.

A missão do partido segundo seus membros, é servir à população itapeviense através de um plano de governo coletivo com a efetiva participação popular, fomentando a cultura, educação, juventude. Entre outros aspectos, criar projetos concretos para os cidadãos.

“Os pré-candidatos já possuem uma militância na cidade há anos, e, por isso, conhecem bem os anseios da sociedade. Sabem o que Itapevi precisa e sentem a vontade de ajudar o povo, sem perseguição e sem ódio”, acrescenta Sérgio Epifânio, secretário geral.

“Itapevi terá uma nova opção, uma nova oportunidade, e isso é de fundamental importância para a cidade e para o processo democrático da mesma. O bipartidarismo criou uma polarização muito forte que só prejudica a cidade e a população de Itapevi. O PSOL Itapevi reforça o convite aos cidadãos para o diálogo e para fazerem parte desse movimento político engajado”, convida Silvio Márcio, atual presidente.

O PSOL, a nível municipal e nacional, é de oposição à política neoliberal do atual presidente da República. Sendo assim, o PSOL se coloca como alternativa eleitoral na cidade para quem também tem rejeição aos desmandos do governo federal e de quem o apóia.

História

O PSOL Itapevi em seu inicio era apenas um Núcleo formado por aproximadamente 10 pessoas, entre elas Alex da Mata que foi o precursor do partido na cidade. Em 2007 cerca de 30 ex-militantes do PT, liderados por Silvio Márcio, passaram a integrar o partido. Um ano depois o PSOL realizou o primeiro Encontro Municipal, que elegeu sua primeira direção, constando como Diretório Municipal e não mais como Núcleo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *